Sobre a Comunidade do Escotismo Lusófono

Conheça um pouco mais sobre a CEL, o que é e qual a sua função.

História

A Comunidade do Escotismo Lusófono (CEL) surgiu, oficialmente, no dia 6 de agosto de 1995, quando os representantes da Associação dos Escuteiros de São Tomé e Príncipe, do Corpo Nacional de Escutas(Portugal), do Corpo Nacional de Escutas de Guiné-Bissau e dos Escoteiros do Brasil assinaram a “Carta do Escotismo Lusófono”, durante o 18º Jamboree Mundial, realizado na Holanda.
A finalidade da CEL é criar um espaço de diálogo entre os escoteiros e escuteiros dos países de língua portuguesa, fortalecendo a fraternidade mundial e possibilitando a aproximação entre os povos.
Os membros da Comunidade vêm, desde então, trocando informações, projetos, materiais educativos, participando de eventos em conjunto e apoiando-se em eventos mundiais. Além disso, contribuem com o desenvolvimento do Escotismo nos países onde o Movimento está em
processo de implantação ou regularização.
Tradicionalmente, durante os Jamborees Mundiais, as Associações Escoteiras Lusófonas montam seu pavilhão em conjunto e realizam um grande Encontro Lusófono. Nas Conferências Mundiais, sempre é realizada a reunião lusófona, com o objetivo de
propor e definir ações para o seguinte triênio.

Entrevista

Nome:Fernando Brodeschi
Associação:Escoteiros do Brasil

De onde surgir a ideia para a criação da CEL?

Em 1994, realizou-se no Marrocos um encontro entre Organizações Escoteiras Nacionais (OENs) de todo o mundo para fomentar as parcerias bilaterais e multilaterais. Ali surgiu a ideia da criação de um convênio que envolvesse todos os países lusófonos. Assim, em 1995, durante o 18º Jamboree Escoteiro Mundial, as OENs lusófonas presentes assinaram a carta da CEL.

Qual era a realidade na época? Como estava o Escotismo nesses países?

A internet ainda era acessível a muito poucos e, portanto, não havia muita informação sobre o que acontecia nos outros países.

Quais eram os objetivos com a sua criação?

Colaboração entre os países, intercâmbio de literatura, convites a eventos para jovens e adultos, realização de reuniões durante as Conferências Mundiais, encontros durante os Jamborees Mundiais, assim como a organização de Pavilhões Lusófonos nestes eventos.

O que foi realizado nesses 20 anos?

Encontros Lusófonos para os jovens nos Jamborees Mundiais da Holanda (1995), Chile (1998/1999), Tailândia (2002/2003), Inglaterra (2007) e Suécia (2011). Stands montados em conjunto (pavilhões) nesses mesmos eventos.

Como é a atuação da CEL?

Basicamente a CEL funciona por meio de seus Comissários Internacionais, que se reúnem periodicamente a cada três anos nas Conferências e três anos nos Jamborees Mundiais.

Em sua opinião, qual importância dela para o Escotismo?

Acredito que ao fomentar o relacionamento entre jovens e adultos de diferentes países, com diferentes culturas, mas que tem o idioma como um grande elo, a CEL tem um aspecto educacional muito importante. Poucas são as pessoas fora do Escotismo que têm espaços de intercâmbio como este que a Comunidade proporciona.

Quantos membros, ao todo, fazem parte da Comunidade?

Os membros reconhecidos pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro (OMME) são:

  • Associação de Escuteiros de Angola
  • Associação dos Escuteiros de Cabo Verde
  • Associação de Escoteiros de Portugal
  • Associação de Escuteiros de São Tomé e Príncipe
  • Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português
  • Corpo Nacional de Escutas de Guiné-Bissau
  • Liga dos Escuteiros de Moçambique
  • Escoteiros do Brasil
  • União Nacional dos Escuteiros de Timor Leste
  • Associação de Escoteiros de Macau

A Guiné Equatorial foi recentemente admitida pela Comunidade dos Países de Língua
Portuguesa (CPLP), mas ainda não existe uma organização nacional naquele país.